Capão Redondo ganha centro de atendimento a mulheres vítimas de violência

0

Além de assistência psicológica e jurídica, novo Centro de Referência da Mulher oferece cursos, palestras, oficinas e grupos reflexivos para o empoderamento e autonomia econômica

As mulheres em situação de violência de gênero e doméstica da cidade de São Paulo têm, a partir do dia 03, mais uma porta aberta para apoiá-las na superação dos problemas e caminhar rumo à autonomia e o empoderamento econômico. Após a abertura, em março, do Centro de Referência da Mulher (CRM) em São Miguel Paulista, na zona leste, chegou à vez de o Capão Redondo, na zona sul, também contar com os serviços do equipamento público. Com a inauguração, será o quinto CRM em operação na cidade.

O Centro prestará atendimento psicológico e jurídico para mulheres da região do Capão. Além disso, são oferecidos cursos, palestras, oficinas e grupos reflexivos que ajudam as mulheres a alcançar a independência econômica. O CRM ainda faz encaminhamentos para Casas Abrigo e outros serviços, caso seja necessário.

“Este Centro irá fortalecer o atendimento às mulheres em situação de violência, principalmente nesta região, que precisa muito destes serviços, onde moram mulheres que enfrentam cotidianamente várias discriminações. As mulheres do Capão Redondo e do entorno poderão vir aqui para buscar informação, orientações e serem atendidas para romper com a violência de gênero de forma efetiva”, disse a secretária municipal de Políticas para Mulheres, Denise Motta Dau.

Para oferecer melhores serviços às mulheres paulistanas, desde o início da atual gestão a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres reformou totalmente os CRMs Casa Brasilândia e Casa Eliane de Grammont, que receberam novos mobiliários. A Prefeitura também reformou os cinco Centros de Cidadania da Mulher (CCMs), em Itaquera, Perus, Capela do Socorro, Parelheiros e Santo Amaro. Os CCMs são espaços de empoderamento econômico e político de mulheres. No local, as mulheres em situação de violência de gênero e doméstica também podem solicitar um primeiro atendimento.

Dados da Violência
Segundo dados do “Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil”, o país ficou em 5° lugar entre os países onde mais ocorreram feminicídios em 2013, com uma taxa de 4,8 homicídios por 100 mil mulheres. Dos 4.762 homicídios femininos ocorridos nesse período, 50,3% (2.394) foram perpetrados por um familiar direito da vítima (uma média de sete mortes por dia).

Dessas 2.394 vítimas de familiares, 1.583 foram mortas por parceiros e ex-parceiros, o que representa 33,2% do total de homicídios de mulheres registrados em 2013. Nesse universo, foram quatro mortes por dia, considerando todas as faixas etárias. O estudo também mostra que, levando-se em conta apenas mulheres acima de 18 anos, a proporção de vítimas dos parceiros e ex-parceiros sobe para 43% do total de homicídios.

Serviço
CRM Maria de Lourdes Rodrigues
Rua Luiz Fonseca Galvão, 145 – Parque Maria Helena, Capão Redondo.
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM 25 de Março
Rua 25 de Março, 205 – Centro
Fone: (11) 3106-1100
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM Casa Brasilândia
Rua Silvio Bueno Peruche, 538 – Brasilândia
Fone: (11) 3983-4294 / 3984-9816
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM Casa Eliane de Grammont
Rua Dr. Bacelar, 20 – V. Clementino
Fone: (11) 5549-9339 / 5549-0335
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM Onóris Ferreira Dias
Rua Pedro Soares de Andrade, 664 – Vila Rosana – São Miguel Paulista
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

FOTOS
Crédito: Heloísa Ballarini

FONTE: Prefeitura

Compartilhe

Sobre o Autor

Vereador Atílio Francisco

Vereador do Partido Republicano do Brasil (PRB) na Câmara Municipal. · Autor de diversos projetos transformados em leis municipais e um dos vereadores mais atuantes da Casa.

deixe aqui o seu comentário

Visit Us On TwitterVisit Us On Facebook